21/02/2008

BOPE patrimônio cultural do Estado do Rio de Janeiro?

Simbolo do BOPE Eu estava sem vontade de falar sobre este assunto, até porque não tem muito o que falar. Simplesmente não podemos considerar o BOPE, com todos elogios que a instituição merece, como cultura de nosso estado. Não pode um Batalhão policial, que usa um símbolo de caveira, andar junto com nosso samba, bossa nova e com o Flamengo, outros patrimônios culturais (da cidade, não do estado).

Perdão deputado Bolsonaro, mas o senhor pode ter tido boas intenções, mas não quero o BOPE representando meu estado.

Postado por:
Categorias:
ALERJ
comentários
20/02/2008

Mercado Imobiliário de olho nas eleições 2008 do Rio de Janeiro

cesar maia Quem fala é Cesar Maia, sobre uma agenda de especulação imobiliária que pode estar sendo incluída a força para as eleições deste ano. Vou acompanhar o site dos candidatos, como tenho feito, e ver se há alguma repercussão, até porque eles também leêm o ex-blog.

RIO-2008: A AGENDA OCULTA!

1. Um  vetor que explica as campanhas eleitorais vitoriosas é a agenda. Quem impõe sua agenda sobre a dos adversários no imaginário do eleitor, é favorito. A luta pela "agenda da campanha" é uma luta que começa bem antes, durante a pré-campanha, fase que ainda vivemos, em direção a eleição municipal de 2008.

2. A agenda deve  combinar três elementos: o diagnóstico, a necessidade que se destaca e ordena as demais, e a expectativa quanto ao futuro. Em muitas eleições a repetição de um tema, ilude, e o faz parecer como sendo "a agenda". Não é tão redundante fazer uma pesquisa de problemas, e aquele que estiver na frente, se impor como agenda hegemônica. Depende inclusive da articulação daqueles  três elementos. Saúde e segurança, respectivamente, têm sido exemplos em outras eleições.

3. Numa campanha podem ocorrer também "agendas ocultas". Ou seja, agendas do interesse de setores da sociedade que não podendo explicitá-las, estimulam o candidato que vá cumprir,no poder, esta agenda oculta, embora ofereça abertamente outra agenda competitiva.

4. Na história política da Cidade do Rio há desde o ultimo quarto do século XIX, uma agenda oculta e sistemática: a questão imobiliária. O interesse dos investidores é permanente, e pressiona os atos dos poderes executivo, legislativo e judiciário. Nas campanhas abastecem aqueles candidatos que cumprirão esta agenda. Há como um duto, por onde fluem nas duas direções o interesse privado e as decisões estatais.

5. Até movimentos de interesse público, são muitas vezes manipulados pelos especuladores. O higienismo do final do século XIX ao início do XX, não escapou disso. A convergência entre urbanizações de novos espaços e interesse especulativo, sempre andaram muito próximos. Foi assim em muitos momentos da história política do Rio, a ponto que se pode excluir poucos governantes que não foram  agentes ou sucumbiram à lógica da especulação (no sentido econômico), imobiliária.

6. Essa agenda -oculta e permanente- volta a estar presente no Rio em 2008. Um exemplo: as fotos publicadas pelos jornais relativas às tentativas de mobilização recentes mostram sempre como participante ativo, a representação dos agentes da especulação, que querem derrubar parâmetros construtivos estabelecidos. Simultaneamente reclamam de problemas na cidade e litigam a favor da especulação imobiliária.

7. A própria seleção dos futuros candidatos tem esta influência. Recentemente num jantar que reuniu empresários do setor, este assunto era discutido abertamente: que nome poderia romper com o dique contra a especulação imposto pela atual administração? Como influenciar para que o nome X possa ser candidato. Como “ajudar" na convenção.

8. A agenda oculta é extremamente perigosa, pois é bem patrocinada, incorpora um forte setor econômico, é insinuante e subrepticia. O eleitor muitas vezes não se dá conta dela, e decide em base as alternativas abertas de agendas. Cabe as candidaturas que se colocam na defesa dos atuais parâmetros urbanísticos estabelecidos, tornarem explícita e aberta esta agenda. E o foco como sempre será a faixa litorânea da cidade. Será e já está sendo, embora de maneira ainda oculta. E mais grave: a desordem urbanística em nome da ordem urbana.

Postado por:
Categorias:
Cesar Maia, Mercado Imobiliário
comentários
20/02/2008

Casando no Cristo Redentor

Cristo Redentor por Luis Condessa Olha só o que saiu no Rio Temporada:

A partir de ontem, quando o casal Fábio e Márcia estreiaram a nova função do monumento, já é possível agendar casamentos aos pés do Cristo Redentor. As cerimônias não alteram o dia-a-dia turístico do local e é bem pertinente já que ali há uma capela.

Curiosamente essa notícia saiu primeiro no “New York Times” e grande parte da fila é composta por extrangeiros. (esses jornais cariocas…)

 

Leia mais clicando no link acima…

Mas, CARAMBA! Imagine quanta gente gostaria de casar com aquele visual atrás, seja de manhã ou de noite. Sério! Demais! A fila de acordo com o Thiago já tem 30 casais na fila, isso sem divulgação… Bem, se você quiser casar lá, aconselho a marcar já, mesmo estando solteiro.

Foto do Cristo Redentor por Luis Condessa

Postado por:
Categorias:
Rio de Janeiro
comentários
20/02/2008

Dá para levar a imprensa carioca a sério?

Fidel Chama o Raúl

A resposta? Não, não dá!

Leia mais no blog do Cris Dias.

Postado por:
Categorias:
Imprensa
comentários
19/02/2008

Fotos e Vídeos das obras da CSA – Thyssen

Futuras instalações da CSA - ThyssenO prefeito do Cesar Maia em seu ex-blog trouxe algumas fotos e vídeos de sua visita ontem as instalações das obras da futura Siderúrgica, Companhia Siderúrgica da América Latina. De acordo com Cesar Maia, apenas uma obra em andamento na China é maior do que esta em Santa Cruz, em uma área de aproximadamente 10.000.000 m.

Cesar Maia nas obras da CSA - Thyssen Na imagem acima o canteiro de obras onde está sendo construído um porto para recebimento de carvão e exportação de placas, uma coqueria, uma termoelétrica com capacidade igual a 8% de toda a demanda do Estado do Rio e uma siderúrgica de placas planas para exportar para as fábricas da Thyssen na Alemanha e Estados Unidos 5 milhões de toneladas de placas por ano.

Na imagem ao lado Cesar Maia próximo a guindastes nas obras da CSA.

Eu não consigo nem imaginar o total de empregos diretos e indiretos que a área vai ganhar… vai ser uma completa revolução na Zona Oeste. E, é certo, Angra vai encher de executivo alemão…

Postado por:
Categorias:
Rio de Janeiro
comentários
Página 957 de 1.216« Primeira955956957958959Última »

Facebook

Novidades por e-mail

Se quiser receber nosso conteúdo no seu email, inscreva-se no campo abaixo

Social

  • Feed
  • YouTube

Destaque

Foto-de-Sheila-Tostes.jpg 4 motivos para amar a mulher carioca?! - Já diria o poetinha “A mulher carioca tem tanta coisa que nem sabe que tem” e o site MHM fez uma lista com os motivos para se apaixonar por uma carioca.
© 2012 Diário do Rio de Janeiro. Todos os direitos reservados. Conteúdo e Publicidade do Blog