05/07/2008

História de Bangu

Fabrica Bangu O blogueiro e micronacionalista Bruno Fontes me mandou um email com a história de Bangú. Não tem o que falar, a pessoa que fez (infelizmente não sei, como Fontes chamou minha atenção, ele recebeu sem a fonte) está de parabéns, seria ótimo que todos os bairros cariocas tivessem algo similar.

Só fiz uma pequena atualização com a inauguração do Calçadão de Bangu, do Shopping Bangu, já que acabava em 1995, e relembrei o importantíssimo vice-campeonato do Brasileiro que o Bangu Atlético Clube conquistou em 1985. Para quem quiser a história do time, é só ir aqui.

Fique com a história de Bangu:

1673 – Manoel de Barcelos Domingues constrói uma capela particular em sua Fazenda do Bangú onde ficava o Engenho da Serra.

1740 – João Manoel de Melo recebeu por sesmaria a Fazenda do Bangú.

1743 – João Freire Alemão comprou da viúva de João Manoel de Melo a Fazenda do Bangú.

1798 – Dona Anna Francisca de Castro Morais e Miranda é donatária da Fazenda do Bangú.

1870 – Manoel Miguel Martins (Barão de Itacurussá) é o novo proprietário da Fazenda do Bangú..

1877 – Marcos José Vasconcelos é o proprietário da Fazenda Retiro.

1889 – No dia 6 de fevereiro, por deliberação da Assembléia dos Acionistas, foi constituída a Companhia Progresso Industrial do Brasil (CPIB).

A região da Freguesia de Campo Grande foi escolhida para a implantação da Fábrica de Tecidos por haver grandes manciais indispensáveis ao seu funcionamento.

Foram comprados cerca de 3.600 hacres de terra a saber; Fazenda do Bangú, Fazenda do Retiro, Sítio do Agostinho e Sítio dos Amaraes pela quantia de 132.137$910 Réis.

Toda Essa região fica a margem da Estrada de Ferro Central do Brasil, distante cerca de 1 hora do Centro. A construção da Fábrica entregu à firma The Morgan Snell and Co. da praça de Londres, pelo preço total de 4.100.00$000 Réis.

A primeira Diretoria ficou assim constituída:

Presidente: Estevão José da Silva

Secretário: Antônio Xavier Carneiro

Tesoureiro: Manoel Moreira da Fonseca

O Edifício da Fábrica será construído na área da Fazenda do Bangú, terá cerca de 18.649m² com forma retangular cujos lados medem 174,9m e 106,63m.

A fachada da Fábrica está orientada no sentido leste-oeste e voltada para o leito da Estrada de Ferro à qual ficará ligada por um ramal partindo da Estação Bangú, com 400m de extensão e terminando no pátio central, junto aos depósitos e armazéns.

O prédio foi inspirado num padrão de arquitetura industrial tipicamente inglês denominado Britânica Manchesteriana que caracteriza-se por apresentar fachadas com tijolos aparentes vermelhos, de estrutura sóbria e pesada em planos simétricos

Comprado também os sítios Agostinho e Amaraes.

Bangu Atlético Clube 1890 – É inaugurada a Estação de Bangú da Estrada de Ferro Central do Brasil.

A primeiro de junho foi reconstruído um engenho que estava em ruínas na Fazenda do Retiro.

Começou a construção da chaminé da Fábrica que terá 57m de altura, 4,12m de diâmetro na parte inferior e 2,44m na parte superior. A base octagonal mede 7,45m entre as faces paralelas.

1891 – Chegam os técnicos têxteis ingleses contratados pela Fábrica Bangú..

Surge o primeiro núcleo comercial no Marco 6 com os comerciantes Sabino Moura, Teobaldo Molica e Emílio Pavão.

Concluído o encanamento desde o reservatório do Guandu até a Fábrica.

Comprado o Sítio do Padre Telêmaco de Souza Velho e mais a cachoeira pela quantia de 1.500$000 Réis.

1892 – É Fundada a Sociedade Musical Progresso de Bangú, a 24 de janeiro.

Concluído o edifício e assentada toda a maquinária

A Diretoria tomou conta da Fábrica para experimentá-la, no dia 11 de julho.

1893 – A 8 de março teve lugar a inauguração da Fábrica com uma festa honrada com a presença do Vice-Presidente da República, Marechal Floriano Peixoto e do Prefeito do Distrito Federal.

Iniciada a construção da Vila Operária com 95 casas na Rua que seria denominada Estevão. (atual Cônego de Vasconcelos).

O pessoal ativo em 31 de dezembro era:

Homens – 310

Mulheres – 171

Meninos – 165

Meninas – 99

Mais de 800 teares estão em movimento.

1895 – É criada a Banda de Música dos Operários da Fábrica.

Com a renúncia do Comendador Esrtevão José da Silva a Diretoria ficou assim:

Presidente: Manoel Antônio da Costa Pereira

Secretário: Eduardo Gomes Ferreira

Tesoureiro: José Clemente de Carvalho

1896 – A chaminé da Fábrica está apresentando algumas fendas nas paredes e busca-se uma solução.

1897 – Com a renúncia do Tesoureiro José Clemente de Carvalho tomou posse em seu lugar o Sr. João Ferrer.

Para escoamento das águas foi aberta uma vala entre os quintais das casas das Ruas Estevão e Fonseca.

1900 – O antigo Engenho da Fazenda Retiro foi demolido e construído um novo com o nome de Santo Antônio.

O engenho produzirá aguardente, açúcar, farinha de milho, farinha de trigo, farinha de mandioca, polvilho, descasque de arroz, o fubá e o açúcar serão doados aos operários.

Para melhor escoamento do produto a Fábrica construiu uma linha de trem de bitola estreita ligando o engenho ao leito da Estação de Bangú.

Uma pequena máquina a vapor e dois vagões que cruzando o pequeno rio existente próximo à Estação de Bangú onde foi construída a ponte São João.

Na Fazenda Retiro em uma elevação qual uma meia laranja está sendo construído um chalé medindo 16m de lado para a residência do administrador.

Foi cedida uma casa na Fazenda Bangú onde funcionará a Caixa Beneficente dos Operários dirigida pelo médico Francisco Borges e o farmacêutico Alatamiro de Oliveira

1901 – O professor Thimóteo Ribeiro de Andrade cria o primeiro grupo escolar em sua residência que será chamada Ribeiro de Andrade.

1903 – O professor Jacinto Alcides também leciona em sua residência na Rua do Comércio, que mais tarde receberá o seu nome.

É fundado o Grupo Carnavalesco Flor de Lira.

1904 – Um grupo de operários ingleses e brasileiros fundaram o “The Bangu Athletic Club”, em 17 de abril.

O prédio que a Fábrica está construindo para ser uma cooperativa será transformado em uma escola para os filhos dos operários e receberá o nome de Presidente Rodrigues Alves.

Foi feita a recuperação da chaminé com a colocação de 34 cintas de aço em toda sua extensão. Para executar esse trabalho foram contratados 3 homens na Inglaterra especializados no assunto.

1905 – Inaugurado pela Fábrica Bangú a escola para os filhos dos operários denominada Presidente Rodrigues Alves, em 30 de junho e o seu diretor é o Professor Jacintho Alcides.

Com o perigo de ruir o galpão na rua Fonseca onde era a sede da Sociedade Musical Progresso de Bangú, a Fábrica começou a construir uma nova sede na Rua Estevão (Rua Ferrer).

1906 – Com um jogo entre operários é inaugurado o Campo do Bangu Athletic Club, situado na Rua Ferrer (antes chamada de Rua Estevão e mais tarde chamada de Rua Cônego de Vasconcelos).

Comprado o prédio da Rua Primeiro de Março, número 38 onde será o escritório central da Fábrica Bangú.

Iniciada a busca de novos mananciais na Serra de Bangú a cargo do Engenheiro Orozimbo do Nascimento. Famoso pela construção de Belo Horizonte.

Em dezembro completaram o primeiro ano do curso escolar os seguintes alunos: Antônio Carregal, José de Barros, Henrique Torrentes, Hermenogildo Guimarães, Francisco Nascimento, Horácio Carvalho e Noberto Santana.

1907 – A 2 de fevereiro é fundado o Grêmio Philomático Rui Barbosa, uma casa de cultura, com sede numa casa da Vila Operária na esquina da Rua Estevão com a Estrada Rio-São Paulo (Av. Cônego de Vasconcelos com Rua Francisco Real).

Inaugurado no dia 1° de maio o prédio que abrigará a Sociedade Musical Progresso do Bangú que passa a chamar-se Casino Bangú. O prédio é o do n° 127 da Rua Estevão (atual Av. Cônego de Vasconcelos).

Construídas duas represas e um reservatório com capacidade para 550 mil litros de água situado na região do Rio da Prata a 350 metros acima do nível do mar, com volume d’água captado em 24 horas igual a 5.200.000 litros.

A primeiro de maio foi inaugurada a sede da Sociedade Musical Progresso de Bangú construída pela Fábrica Bangú, na Rua Estevão, 127. A Sociedade Musical passa a chamar-se Casino Bangú.

Criado o Sindicato dos Trabalhadores em Fábrica de Tecido, da União dos Operários em Fábricas de Tecidos.

Igreja de Santa Cecília 1908 – Criado o Curato de Bangú e a Paróquia de São Sebastião e Santa Cecília.

Iniciada pela Fábrica Bangú a construção da Igreja em Bangú. Chega a Bangú o primeiro Paróquo, Dr. Vítor Maria Coelho.

O Casino Bangú adquire um cinematógrafo Pathé e faz exibições de cinema para os seus associados.

Concluído todo o serviço de captação d’água do Rio da Prata sob a direção do Sr. Joan Vidal, dedicado técnico francês no setor de hidráulica.

Concluída a canalização desde aquele local até o reservatório de forma octagonal construído na Rua da Usina próximo a pedreira.

Junto ao reservatório foi construído um prédio de 5 metros de lado que abrigará uma Roda Pelton que acionada pela queda da água gerará energia elétrica para as seções de gravura, estamaparia e para a casa dos operários.

A Fábrica Bangú esteve presente na exposição Nacional da Indústria montando na Praia Vermelha um belo pavilhão todo de madeira.

Os vários tecidos expostos foram muito apreciados fazendo jus aos prêmios:

Tecidos: Grande Prêmio

Gravura Mecânica: Medalha de Ouro

Triconia: Medalha de Ouro

1909 – A 9 de março foi inaugurado o Grupo Carnavalesco Prazaer das Morenas.

A Fábrica recebeu a visita do Vice_Presidente da República Nilo Peçanha.

Com festas nos dias 9, 10 e 11 de maio a Paróquia é entregue ao Público.

1910 – É oficialmeente inaugurada, a 10 de março, a Igreja de São Sebastião e Santa Cecília. Na missa inaugural estiveram presentes o Comendador Costa Pereira, Presidente da Fábrica Bangú, e sua esposa que doaram a imagem de Nossa Senhora, que foi colocada no centro do altar.

Iniciada a construção de um prédio anexo ao da Fábrica para expansão de algumas seções.

Para facilitar o transporte de passageiros e cargas a Fábrica inicia a construção da circular possibilitando que alguns trens retornem de Bangú.

1913 – Inaugurado o cinema Ítalo-Brasil, mais tarde Recreio, no Marco 6, os proprietários eram os irmãos Pedro e Bartholomeu Rugiero.

Inaugurada no Marco 6 A Igreja Evangélica Brasileira.

Totalmente construído o prédio anexo ao lado direito da Fábrica para abirgar mais 6 seções.

1916 – Começa a ser instalada a rede de esgotos nas casas dos operários.

Em virtude da guerra na Europa surgem algumas dificuldades com a nvegação marítima que traz matéria-prima para a Fábrica

1917 – A Escola Presidente Rodrigues Alves é doada à Prefeitura do Distrito Federal e passa a chamar-se Martins Junior.

Criado o Sindicato dos Trabalhadores Tecelões.

1919 – Inaugurada a Igreja Evangélica na Rua Silva Cardoso.

Pedem demissão do Cargo o Presidente Costa Pereira e o Diretor Secretário Sr. João Ferrer.

1920 – Os irmãos Rugiero fecham o Cinema Recreio e inauguram o cinema Bangú na Rua Estevão.

Inaugurado o Centro Espírita Luz e Amor, na Rua Silva Cardoso.

Inaugurado o Centro Espírita Pedro de Alcântara na Rua Ribeiro Dantas.

Inaugurado o Centro Espírita João Batista na Estrada do Engenho.

Inaugurada a Ação Cristã Vicente Moreti, na Rua Maravilha.

1921 – Acréscimo e melhoramentos nos prédios da Igreja e da Escola.

1922 – O Dr. Manuel Guilherme da Silveira Filho é o novo Diretor-Presidente da Fábrica.

1925 – Inaugurado o Grêmio Literário Rui Barbosa em Substituição ao Grêmio Philométrico.

1926 – A Fábrica recebe a visita do Presidente da República Washington Luiz e do Deputado Júlio Prestes e lhes oferece um banquete no Casino Bangú.

1929 – O prédio que servia de sede ao Casino Bangú foi retomado pela Fábrica. O Casino mudou-se para a Rua Fonseca, no mesmo local aonde se encontra hoje a sua moderna sede.

É criado o departamento Territorial.

O Presidente Dr. Guilherme é licenciado para exercer o cargo de Presidente do Banco do Brasil.

1931 – O prédio onde funcionava o Casino passa a ser a sede do Bangu Club, recentemente criado por um grupo de operários.

1932 – A 17 de abril é inaugurada a Igreja Presbiteriana de Bangú, na Rua Júlio Cezar.

1933 – O Bangu Athletic Club conquista o primeiro campeonato de Futebol Profissional realizado no Rio de Janeiro.

Com uma subestação inaugurada na Rua Progresso, atual Rangel Pestana, a Light passa a distribuir energia elétrica em Bangú.

Fundado o Ceres Futebol Clube, com, sede e campo na Rua da Chita.

A Fábrica fica parada por 45 dias em virtude de uma greve.

1935 – Em terreno doado pela Fábrica, na Av. Santa Cruz, é inaugurada a Escola Getúlio Vargas.

Toma posse na Fábrica como Administrador o Sr. Manoel Soares de Vasconcelos que chefiava o escritório Central.

A Fábrica recebe a visita do Presidente Getúlio Vargas que admirou-se ao ver o seu retrato sendo tecido por um operário.

Um banquete no Salão do Bangú “que é o centro de diversões dos nosso operários”, foi oferecido ao Presidente.

Foi inaugurada a Agência da Caixa Econômica em prédio doado pela Fábrica na esquina da Rua Fonseca com Francisco Real.

Uma tromba d’água que caiu na região do Guandu causou grandes danos ao reservatório.

1937 – A 15 de novembro é fundado o Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos de Bangú.

Inaugurada a primeira agência da Caixa Econômica Federal em uma casa cedida pela Fábrica, na esquina da Rua Fonseca com Estrada Rio-São Paulo, atual Rua Francisco Real.

1938 – Chega a Bangú o Pres. Getúlio Vargas para inaugurar o Centro de Saúde e Hospital Almeida Magalhães para tratamento de tuberculose, construído em terreno doado pela Fábrica.

O Presidente Getúlio Vargas também inaugura uma placa de bronze no Centro de Saúde na Rua Silva Cardoso, n° 145.

1939 – O Bangu Athletic Club passa a ter sua sede onde funcionava o Bangu Club que foi extinto.

O Engenheiro Dr. Guilherme da Silveira Filho, Dr. Silveirinha, é investido da função de chefe do Departamento Territorial da Fábrica.

1940 – A Fábrica faz doação de terrenos para a instalação do Hospital Guilherme da Silveira, para 19ª Divisão de Viação e para a limpeza Pública.

1942 – Inaugurada a Escola do SENAI, hoje Colégio Leopoldina da Silveira, em prédio doado pela Fábrica, na Rua da Feira.

Começa a construção dos núcleos residenciais para os operários e 114 casas já estão construídas.

Iniciada a construção do prédio para o Departamento Territorial.

1943 – Iniciada a construção da Escola Textil conforme acordo com o SENAI, situada na Rua da Feira.

1944 – Inauguração da Creche Modelo e dos Ambulatórios de Medicina e Cirurgia.

1945 – Em janeiro é inaugurada a Igreja São Lourenço, na Av. Ministro Ary Franco.

Estádio Moça Bonita 1947 – A 23 de setembro foi inaugurado o Centro Espírita Prece aos Sofredores, passando mais tarde a ter sua sede na Rua dos Tintureiros.

A 15 de novembro é inaugurado o novo campo do Bangu Athletic Club, Estádio Proletário Guilherme da Silveira (Moça Bonita), construído pela Fábrica.

1948 – A Fábrica recebe a visita do Presidente Eurico Gaspar Dutra. Após banquete que lhe foi oferecido no Salão do Bangú o Presidente foi conhecer o Estádio Proletário.

1949 – A 22 de setembro é inaugurada a Obra de Assistência a Infância de Bangú idealizada pelo Dr. Antônio Gonçalves da Silva, na Rua Silva Cardoso.

1951 – Inaugurado o Ginásio Daltro Santos.

1952 – A alta qualidade dos tecidos Bangú, a variedade e a beleza dos padrões são comprovadas nos grandes desfiles realizados nas principais cidades do país. A marca Bangú começa a projetar-se internacionalmente.

1966 – Pela segunda vez o Bangu Athletic Club vence o campeonato Carioca de Futebol.

1968 – A 14 de fevereiro é fundada a Associação Comercial e Industrial da Região de Bangú – ACIRB.

1969 – A 15 de outubro é fundado o Lions Clube Bangú.

1979 – Inaugurado o Fórum na Rua Silva Cardoso.

1983 – Inauguração do Monumento dos Pracinhas, na Praça da Fé.

1985 - Bangu Atlético Clube torna-se vice-campeão Brasileiro.

1990 – A Fábrica é vendida ao Grupo Dona Izabel.

Bangu Shopping 1991 – A 22 de abril é inaugurado o Calçadão na Av. Cônego de Vasconcelos.

Inaugurado o CIEP Célia Martins Mena Barreto em junho.

1994 – Inaugurado o Centro Cultural da Região de Bangu, em 24 de maio, com sede na Rua Silva Cardoso.

Inaugurado o CIEP Dr. Guilherme da Silveira no Jardim Bangu, em outubro.

Inaugurada a nova agência do Banerj, em 7 de novembro, no calçadão.

A 12 de novembro é inaugurado o Viaduto Valdemar Vianna em Padre Miguel.

1995 – Decreto de 10 de maio deterrmina o tombamento definitivo da Fábrica Bangu.

2004 - Inaugurado o Calçadão de Bangu.

2007 - Em 30 de outubro as instalações da Fábrica Bangu torna-se o Shopping Bangu

Quintino Gomes

Quintino Gomes

Editor at Diário do Rio
Defensor do Carioca Way of Life, morou em Jacarepaguá a vida toda, trabalhou na Zona Oeste, na Zona Norte, Centro e Zona Sul. O pai é português e a mãe carioca da Gema, do Bairro de Fátima
Quintino Gomes
Quintino Gomes
Quintino Gomes

Latest posts by Quintino Gomes (see all)


agencia b5
Postado por:
Categorias:
Rio de Janeiro

Comente!

Comentários

  1. CariocaFla disse:

    Uau! Tanta coisa sobre Bangu q eu não sabia. Quem diria q até o presidente Getulio Vargas foi até lá. As vezes até me esqueço q sou de Bangu. Bangu é sem acento no U, Ok?
    Um abraço Bangu, pro pessoal do Rio da Prata, da Vila Aliança e pro pessoal do centro de Bangu. Vlw!!

  2. Diario do Rio disse:

    Paulo,
    mas acho que tinha… pelo menos é o que parece, já que o nome deixa de ter acento alguns séculos depois da fundação da fazenda.

  3. carol disse:

    ola,
    adorei seu blog.
    estou começando o meu hoje.
    vou adicionar o seu na minha pagina, ok?
    até

  4. Diario do Rio disse:

    Carol,
    sem problema!!! E obrigado pelo elogio.

  5. Bruno Fontes disse:

    Ih, ficou com referência e tudo pra mim! :D

    Só como curiosidade, ontem (sábado) eu tive o enorme prazer de tocar no casamento de um amigo que foi justamente na Santa Cecília (a igreja aí da foto! :P)!

  6. Diario do Rio disse:

    Bruno,
    e ninguém perguntou o q é micronacionalista..

  7. eliane disse:

    ola eu gostaria de ter mais informaçao sobre as rua de bangu e para um estudo de historia de escola gostaria de ajuda ai vai o nome das ruas fransico real.ministro ary franco. coronel tamarino. guilherme da silveira senador vasconselo. senador camara. professor clemente ferreira. fazenda do viega. padre miguel, caso algem sabe eu agradecia

  8. Regina disse:

    Muito legal este site, gostei de saber mais coisas sobre Bangu, se todos os moradores de Bangu tivessem acesso a todas estas informações eles teriam mais orgulho do lugar que moram, podemos até está longe de algumas coisas, mas temos histórias para contar, muito bacana, valeu

  9. Patricia disse:

    Vale a pena acrescentar q em 1991 tb houve a troca de mão no sentido do trânsito, que causou muitos acidentes. A Avenida Santa Cruz passou a ser mão única, assim como a Francisco Real.

  10. jorge afonso disse:

    ja morei ai em bangu 22 anos

  11. MARIA CRISTINA NEVES FARIAS disse:

    em 1969 eu participei de uma festa no Bangú Atletico Club, o tema era da Praça, teve varias crianças cantando, imitando os catores da época, tinha desfile, teatros feitos pelos colegios, eu nasci e fui criada em BAngu até os meus 15 anos, eu morava na Rua Doze de Fevereiro perto do açude e da pedreira, a minha infância foi toda nesta área principalmente na Igreja que tinha um lindo chafariz e grande o gramado ao redor da igreja, gostaria de ver fotos desta época do Bangu

  12. Roberto Rodrigues disse:

    Sou morador de Bangu, e gostaria de obter mais informações sobre quando não mais existiu algumas obras como:
    O Cine bangu, fundado em 1920?
    A história da caixa Econômica, quando saiu do local da sua primeira instalação?
    Qual o primeiro Hospital a ser instalado em Bangu?
    Quando foi a última viagem do bonde pelas ruas de Bangu?

    Certo da atenção, agradeço

    1. Raimundo SOUSA disse:

      Roberto, morei em Bangu de 1954 a 1978 que eu me lembre que meus pais tenham falado eu acho que nunca exestiu bonde em Bangu ele vinha acho ate Madureira e me parece que em Campo Grande tinha pois por algun tempo se via os trilhos onde hoje tem uma rodoviaria. e isso que eu estou aqui no Sul; abraços,

  13. JOSE ROBERTO DA SILVA disse:

    bela iniciativa, os comentários são ótimos. moro em bangu à uns 20 anos e adoro este lugar com tantas histórias. uma vez ganhei um livro que era um romance. esse romance se passava nos anos de 1800 à 1895 e era nesta região toda da zona oeste. inclusive barra e recreio passando por jacarepaguá e santa cruz. mas o foco era a região de bangu e adjascências. o romance deixava claro as várias fazendas que existiam nestes lugares. é um livro incrível, mas infelismente eu o perdi, não me lembro nem do nome (uma lástima), mas me lembro bem da estória sobre o lugar histórico! ah! bangu não tem acento mesmo, mas não se preoculpe, depois do Pascuale Cipro Neto, todo mundo aprendeu a escrever um pouco melhor, lembra das entregas à domicílio… valeu!!!

  14. jorge afonso disse:

    casino bangu continua o mesmo

    obrigado jam.

  15. sandra maria disse:

    gostaria de saber onde esta o escritorio que nos possamos refazer as anotações da carteira de trabalho da pessoa que trabalhou na fabrica em bangu pois isto é importante para esta pessoa ´pois a atual carteira foi roubada. sandra

  16. cassia disse:

    Boa tarde como vc sabe tudo de bangú vi uma casa na rua chita em frente a uma praça ela fica entre dois predios,queria saber se os prédios são tranquilos de se morar e o nome do conjunto,será q vc sabe.quero comprar a casa.assim q me responder envia em alerta p/ o meu e-mail por favor,aguardo ctt.obrigada.

  17. poxa realmente tem muitas coisas que eu nao sabia sobre bangu
    algumas coisas ate sabia lendo uma exposiçao que teve no shopping de bangu mas outras eu nao sabia realmente e muito interessante tudo isso que foi postado ai em cima assim eu posso passar pra todos que nao conhece as historias de bangu

  18. jorge afonso mendes disse:

    gostei ver esses comentarios que aqui em portugal a gente pode isso tudo ai um abraço a todos

  19. rogerio junqueira disse:

    que aula de historia!!!
    fiquei maravilhado!
    parabens pela iniciativa e otimo trabalho!

  20. neide da silva disse:

    Tenho 53 anos, sou nascida e criada em Bangu, vi Bangu se transformar,se modernizar.Os melhores carnavais de rua era em Bangu, quantas saudades.Os bailes no Bangu Atletico e no Cassino Bangu era Lindos.Ah!Bangu minha terra quantas lembranças maravilhosas tenho de ti.Saudades… nem se fala.Meu pai era Bangu doente, nunca vi igual, ele chorava quando o time do Bangu ganhava.E fez com que meu sobrinho nelsinho fosse também apaixonado pelo time.Pois nelsinho até hoje é bangu doente, como o avô( hoje,Nelsinho é um homem de 50 anos).Saí de Bangu quando me casei, fui pra Realengo, fiquei em Realengo 20 anos.Mais há 5 anos voltei a morar em Bangu, como diz um ditado: o bom filho a casa retorna, e aí to eu em Bangu, vendo este lindo Shopping, que sua estrutura só nos dá saudades.Parabéns Bangu, meu bairro querido e amado, parabéns ti amo!

    1. Raimundo SOUSA disse:

      Neide me confirma se vc é que trabalhou na Credeal em Campo Grande se for e muita conscidencia de achar, pois escrevo daqui do Sul.BANGU QUERIDO MUITAS SAUDADES DE NINHA INFANCIA AI EM BANGU, CARNAVAL, BAILES NO BAC, BLOCOS DE SUJO NA CONEGO, SAUDADES DO COLEGIO GETULIO VARGAS. CINEMA VITORIA, MATILDE E HERMIDA.

  21. Marilza Porto disse:

    Estou tentando achar fotos antigas do calçadão de Bangu,chamadas
    vilas operárias da Fábrica Bangu e não estou achando.

  22. lori disse:

    ma varias aruza porto é so voce ir ao cinema do shopping e vera varias fotos

  23. lori disse:

    marilza no cinema shopping voce verá as fotos da vila operaria

  24. JOSE EDUARDO disse:

    SE HA COISA QUE ME LEMBRE DE IMEDIATO DE BANGU E DE MINHA INFANCIA, ERA A PIZZA DA PADARIA MERCURIO QUE ERA LOCALIZADA NA AV CONEGO VASCONCELOS ESQUINA COM AV SANTA CRUZ!! SERÁ QUE ALGUEM AÍ LEMBRA?

    1. Jose Carlos Dantas disse:

      Claro q eu lembro da padaria mercúrio e da churrascaria Lula
      Saudades
      José Carlos

      1. Raimundo SOUSA disse:

        E com muitas saudades que leio sobre Bangu de minha infancia e adolescencia, bem lembrado da padaria mercurio, onde se tomava um chopinho gelado acompanhado de pizza.Hoje moro no Sul.mas minha mae aida mora ai

  25. Carlos Marinho disse:

    Que saudade do apito da Fábrica de Madrugada, tenho uma foto de meu pai de bicicleta na Av. C. de Vasconcelos quando ainda era com PARALELEPÍPIDO

    1. Raimundo SOUSA disse:

      Oi o apito da Fabrica era o nosso relogio, pra ir para escola na infancia o nosso almoço, que saudades chega a dar um nÓ no peito, ao lembraR dessas coisas, pois sai ai de Bangu com 25 anos hoje moro no Sul do pais aos 57 anos. A ultima vez que estive ai foi agora em Abril, visitando minha familia ai e o Bangu cresceu muito, se transformou que lindo, preservaram a memoria da Fabrica BANGU.

  26. BRENO disse:

    eu amo o shopping de bangu e bangu tbm…eu amei a istoria de bangu eu moro em realengo.

  27. Maria José disse:

    Q bom conhecer esse site. Estudei no Daltro Santos de 1958 a 1962, pois naquela época morava em Realengo. Os professores eram ótimos…prof. Themis(Português),prof. Helder(Latim), prof. Luiz (Matemática)e tantos amigos com os quais perdi completamente o contato.Como gostaria de reencontrá-los!
    Lembro de alguns nomes…Nelma(minha melhor amiga), Maria Luiza, Alva Coeli, José Mauro e José Nilton (eram irmãos), Paulo Max, Aglaer, Carlos Alberto Parreira(isso mesmo!)o nosso famoso técnico de futebol, e muitos outros que, infelizmente,não lembro mais dos nomes
    Se alguém souber da existência de alguma associação de ex-alunos daquela época, me manda, por favor

    1. edburgo soares filho disse:

      Você é Maria Jose Gama, porque havia outra MJ,cujo sobrenome não me recordo, que era muito boa no jogo de queimada. Estudei, em 58, na turma 11 (primeiro ginasial). Concluí o ginásio em 62, quando fui para o Exército. Sou irmão da Ezilda, turma 12. Aguardo seu contato.

  28. joel filho disse:

    Quando foi inaugurada e se havia duas caixa economica federal em bangu?

  29. Michelle disse:

    Parabéns ao autor,e parabéns à você por ter compartilhado essa bela obra com todos os apaixonados por Bangu(no meu caso).Muito obrigada.

  30. jorge afonso mendes disse:

    meu bangu brasileiro e um amante guereiro que nunca vou te esqueçer como um dia passei a minha juventude e mocidade junto de meus amigos de fe como ja mais esquecerei.

  31. andreia disse:

    Sou cria de bangu , morei na principal rua ,atras da igreja santa Cecilia , gosto muito quando encontro imformações sobre Bangu ,sou andreia carregal e trago o bairro de bangu no coração.

  32. Carlos Marinho disse:

    Estudei no Colégio Leopoldina da Silveira ( no tempo do prof. Justo)
    Nadei na Piscina ( Prof. Paulo,Cabrocha, Celem etc, Nadadores e/ou equipe de Water Polo: Paulo Bacurau, Ademir Benevendes(falecido)e outros

    1. Jose Carlos Dantas disse:

      Navegando na Internet encontro algu´me da minha época
      Fui aluno de Cabrocha e Celem – Será q ainda estão vivos /
      Um abraço
      José Carlos

  33. alcione de s. sobrinho disse:

    o bairro Bangu e os moradores continuam lindo.

  34. maria olimpia disse:

    Nasci na estrada da Maravilha. Lembro-me dos cinemas : Vitoria ( hoje no local do prédio do Bradesco),Hermida(atual casa e Video), Matilde(no predio Matilde).Antes, havia um cinema na Conego nas proximidades da Caixa,assiti ali muitas vezes a vida de Cristo.
    O padre Santa Rosa era uma figura lendária na minha epoca em
    faziamos parte da Cruzadinha e D. Celia era catequista.
    Estudei na Escola Caxanga e na Escola getulio Vargas, ali passei tempos maravilhosos, merendávamos sempre mingau, era tudo muito simples, mas respeitávamos nossos professores e era uma alegria
    a festa do dia dos Mestres.
    O Carnaval de rua se resumia no Coreto da Rua Conego, tudo com muita
    alegria e lança perfume para jogar nas pessoas ,não era para cheirar.
    Lembro-me que participei como estudante de uma almoço no Clube oferecido ao presidente Juscelino.
    O dia do trabalhador no campo do Bangu era sensacional. Tempos
    maravilhosos no Bairro De Bangu e que ,ainda , vivo nele com muito orgulho.

    1. Jose Carlos Dantas disse:

      Que saudades dos cines Vitória, Hermida e Matilde
      Vivi muito esses tempos
      Morava na Silva Cardoso
      Um abraço
      Jose Carlos

      1. ingrid bianca disse:

        Olá jose carlos…..gostaria muito conversar com vc…..estou tentando encontrar meu pai ele trabalhou no hermida mais a unica coisa que sei que o nome dele era Josenildo……vc pode me ajudar?????meu tel é 24115572 abraço

    2. Rose Murray disse:

      Em primeiro lugar, gostaria de parabenizar pelo blog super legal e também por essa matéria linda.
      Fui criada em Bangu e me recordo da Igreja, da Padaria Mercúrio, dos carnavais (e da patinação) no BAC e no Cassino Bangu, do Bloco do Sujo que passava jogando tinta em todo mundo … época inesquecível.
      Estudei no colégio Getúlio Vargas do quarto ao oitavo anos.
      Ainda mantenho contato através do Orkut com vários ex- alunos e no final de semana passado reencontrei uma professora de ciências daquela época (Cristina Roffer)… ela, juntamente com outros ex-professores criaram a associação de ex alunos e ex professores da Escola Getúlio Vargas, e eles se reunem periodicamente.
      Para quem quiser obter informações sobre estes encontros, basta me contactar através do orkut (ou e-mail) que eu repasso o contato da Prof. Cristina.
      Quem sabe reencontraremos parte de nossa história também através da associação??
      Um abraço a todos!!!
      Rosy Murray
      E-mail.: rosymurray@zipmail.com.br

  35. everson alves disse:

    nosso bangu ta muito esquecido pelas autoridades ate hoje nao sei o porque que a praca dr raimundo paz pça do casino bangu nao passou por reformas no tempo do rio cidade e quando retiraram os camelos do calçadao colocaram eles la na pça por esse motivo ao bancos foram todos arrancados para poder dar espaços as barracas, disseram tambem na epoca que os fios iam ser subterraneos mas que nada tudo ficou na promessa.e o shooping estamuito bom para nos que nao tinhamos nada delazer mas deveria ser ampliado pois ainda falta muitos atrativos para o local. ex: um restaurante de comidas mineiras, churrascaria isso ainda nao temos se quiser ir numa churrascaria tem que ir para av brasil ou realengo mas acredito que em breve teremos mais atraçoes.

  36. everson alves disse:

    ha queria falar tambem sobre essa triste cena que vemos todos os dias em bangu pessoas drogadas na pça da fe a noite fumando maconha mendigos dormindo fazendo fogueira na pça mendigos no calçadao pessoas doentes cheias de enfermidades com dedos dos pes faltando so com o buraco a mostra uma cena de horror ja passei um email de reclamaçao para pref mas mandaram uma resposta ineficaz, e nao tomaram providencias.ainda tem muito que melhorar a escada rolante com defeito todos os dias tem sempre 1 ou 2 lados da escada nao esta funcionando to colocando isso aqui e para alguem tomar providencias ou marcelino ou jorge felipe que sao tudo cria de bangu e politicos velhos com influencias. sem mais um abç a todos

  37. pierre1992 disse:

    o time do bangu já foi um time bom hj não é mais, chegou a disputar a final do brasileirão em 1985 mias foi vencido pelo COXA!!!

  38. João Borges disse:

    PARABÉNS PELO TRABALHO/PESQUISA
    Nasci em Bangu e hoje com 49 anos sinto saudades da minha infância quando bricava na rua descalço, andava de bicicleta, patins, pique bandeira e muita pelada de rua. No carnaval me fantasiava de carrasco, bate bola, bloco do sujo e a tarde íamos ao baile infantil do Bangu Atlético Clube. Realmente foi uma excelente infância comendo fruta no pé assim como o José Mauro de Vasconcelos que reproduz em seu livro ” Meu pé de laranja lima” uma imagem fiel do que era Bangu naquela época.
    Minha mãe foi bilheteira de um dos cinemas de Bangu e hoje com 89 anos ela lembra com saudades desta época que assim que terminava na bilheteria ela ia correndo ver o filme que estava passando. Lembro até hoje a primeira vez que fui ao cinema Vitória na Cônego de Vasconcelos assistir ao lançamento da Noviça Rebelde.
    De vez em quando ainda vou a Bangu visitar a minha mãe que se recusa a sair daí. E em uma destas visitas, no ano de 2005, fui conhecer o Parque do Mendanha. Fiquei impressionado com a organização e a consciência ecológica aplicada ali, além de ser um lugar muito bonito e excelente para um convívio familiar. Infelizmente neste ano de 2009 voltei ao parque e encontrei abandonado e fechado para o público. Tentei saber o que teria acontecido mas ninguém soube me explicar. Uma pena pois são poucas as opções de lazer nesta região e este parque era uma das melhores.
    O Shopping Bangu também foi excelente para resgatar o orgulho de ser Banguense ficou muito bonito e foi um presente merecido aos povo banguenses, além de restaurar a nossa Fábrica Bangu tão presente nas nossas vidas.
    O comentário ficou comprido demais mas é por que as lembranças são muitas, assim como a saudade daquele tempo.

    1. Raimundo SOUSA disse:

      Joao Borges, estou escrevendo aqui do Rio Grande do Sul, morei em Bangu até os 25 anos e tudo que escreveu, tambem faz parte de minha infancia, pois o comentario ficou até curto pois se fossemos reviver aqui tudo o que nos vivenciamos em Bangu da nossa infancia eu acho que faltaria espaço, mas muito boa as lembrança hoje estou com 57 anos pois tive a oportunidade de voltar em Bangu agora em Abr/2010 visitanto minha mae no casamento de meu sobrinho e fiquei muitissimo emociado interiormente ao ver que foi preservado a memoria da fabrica bangu que tantas lembranças nos traz.

  39. Rodolfo disse:

    Excelente! Gostei muito. Morei em Bangu de 1960 a 1964, na rua dos açudes.tinha então 9 anos de idade. estudei no Martins Junior. Gostava da garotinha Mara Lúcia, nadadora do Bangu e do meu saudoso amigo Fernando, orfão de pai (eletricista???), cuja mãe trabalhava na Fábrica Bangu.Assiti “La Violetera”,”Ben-Hur”,”Sissi”, entre outros, no Cine Hermida! Carnaval de rua , nem se fala! bailes no Bangu, que saudades! tempo do tamarino, manga, carambola,abricó,jamelão nas ruas! catecismo, meu Deus!, só pra namoricar mesmo! Mas o Destino me reservou outros paradeiros e hoje resido no RS. Quem souber do paradeiro dos amigos acima, entre em contato comigo! A todos voces de Bangu, aquele abraço!

  40. ERLI disse:

    É muito importante saber a história de onde moramos, por onde passamos… Moro aqui há 10 anos e apesar de muitas críticas destrutivas sobre o local, gosto de morar aqui. Não dá para imaginar que aconteceu tanta coisa marcante nesse bairro…

    Parabéns à iniciativa!

  41. Alexandre Ramos disse:

    Que lindo trabalho……

    Moro em Bangu a mais de 20 anos, pensei que conhecia meu bairro!!!!! Essa aula me fez viajar e me orgulhar ainda mais de ser banguense..
    Um bairro lembrado hoje pelos presidios, pela violência, pelo calor….que lástima!!!!! Fico muito triste.
    Mas hoje ganhei o dia… que alegria… Bangu terra onde surgiu o futebol no Brasil, visitada por grandes presidentes do País e acima de tudo um marco no desenvolvimento econômico da nossa Nação.
    Amigos de Bangu pra mim esse nosso bairro é o melhor do planeta, terra boa onde emana leite e mel….Onde conheci a mulher que amo e onde crio meus dois preciosos filhos….
    Falo a todos que me peguntam…Moro em BANGU o melhor bairro do RIO.
    Vamos juntos resgatar as qualidades do nosso bairro!!!!!!!!!!!
    Sou banguense e outra coisa não quero ser…
    PARABÉNS!!!!!!!!

  42. Paulo Roberto Dutra da Silva disse:

    Sentimentos e recordações são elementos que elevam a nossa alma a um estado de leveza, pura e cristalina.
    Só quero acrescentar as festas juninas nas ruas sem calçamento, pegando os bambus no Morro do São Bento ou no Viegas. Brincar de latero; de pique esconde; de pêra, uva, maçã com as meninas. Andar de bicicleta sem medo e brincar na Praça da Guilherme da Silveira. Festa dos Trabalhadores, no 1º de maio, no estádio do Bangu. O nevoeira das manhãs quando ia para a escola e só via um palmo a minha frete. Vi La Violetera e Marcelino, pão e vinho, no Hermida e quase chorei ao recordar do fato e também da minha avó que nos levava ao cinema.
    Nasci e morei na Guilherme, na Marselha, até 1980, mas mantenho vínculos de atefo profundos com Bangu.
    Lucimar, você me conheceu? Minha mãe se chama Arésia.

  43. jorge disse:

    gostaria de entra em cotacto com tania de aguiar de pedro

  44. edujoal disse:

    tenho 50 anos e moro em Minas GErais, já cantei no carnaval no coreto da Cônego, Bangu era muito bom nos anos 60, só que era quente prá caramba.

  45. Dayse disse:

    Parabéns pela grandiosa iniciativa! Que surpresa!… Entrei no site para dar uma olhadela nas escolas públicas onde estudei, e pude ratificar através do histórico e dos depoimentos aqui registrados, as maravilhas que vivi no tempo de criança e juventude, na rua Maravilha, entre a Francisco Real e Clemente Ferreira.
    Somos todos cariocas da gema, mas papai fora transferido para o bairro de Bangu e, por gostar do local e estar mais próximo do serviço, decidiu comprar um imóvel e aí residir.
    Em 1971, papai fora transferido para Curitiba/PR, e depois de quatro anos, para Campo Grande/MS, onde moro até hoje.
    Lembro-me de Bangu com muita saudade, de tudo que aí desfrutei, de um bairro com boa estrutura, organizado, tranquilo, muito arborizado, de ruas largas, local bonito, quente, de gente feliz!
    Real a descrição do Bangu que conheci, gravado até o presente em minha memória.

  46. Dayse disse:

    Curiosidade… D. Dulce, esposa do ex presidente João Figueiredo, foi diretora da Escola Getúlio Vargas. Na época, como muitas das professoras, esposas de militares, já com três filhos meninos, morava na Vila Militar e trabalhava em Bangu.

  47. edilson alves de azeredo disse:

    edilson azeredo.
    gostaria de encontrar, sandra belas pernas
    apelido na epoca em que estudava.Colegio prof daltro santos
    em bangu por volta de 1982/83/84/85.
    pois amesma morava na estrada do realengo/santa cecilia
    Que bairro maravilhoso.Nao saio daqui por nada. abraços

  48. Margarida disse:

    Tenho otimas lembranças de Bangu . Estudei na Escola Getulio Vargas. Fui da primeira turma do quinto ano primario quando a escola foi inaugurada e o presidente Getulio Vargas esteve presente.
    Gostaria de saber de algum (a) colega dessa epoca. Hoje moro na Tijuca mas ainda tenho relaçâo de amizade com familias de Bangu.
    Com muito afetoum abraço para todos de Bangu.
    Margarida

  49. valdemiro j.andrade disse:

    achei muito bom,parabens pelo trabalho
    e sempre um orgulho quando falamos de onde nascemos e o quanto cresceu
    um grande abraço

  50. ingrid bianca disse:

    alguem conhece ou trabalhou no cinema hermida?????gostaria de achar o meu pai…só sei que se chamava josenildo…..ele trabalhou no hermida…..se alguem tiver alguma informação por favor me avisem…ingridbianca@hotmail.com

  51. Margarida disse:

    Maria Olimpia, adorei seu depoimento sobre Bangu. Tambem conheci o padre Santa Rosa, Da. Celia e estudei na Getulio Vargas
    Meus filhos fizeram a primeira comunhão com o Padre Santa Rosa e estudaram na Caxangá.
    Morava em Realengo, depois fui morar em um pequeno sitio na Rua Murundu, de onde só saí para vir morar na Tijuca onde estou ha 36 anos
    Voce agora mora em que rua? Podemos conversar por telefone? Tenho algumas amigas que moram em Bangu
    Um abraço
    Margarida

  52. edburgo soares filho disse:

    Moro no exterior, mas todo ano volto a Bangu e, algumas vezes, ao Colégio Daltro Santos, onde estudei de 58 a 62. Era assíduo frequentador do Cine Hermida, onde assisti a muitos filmes do menino ator e cantor espanhol Joselito (lembram?). Gostava muito de suas músicas. Quando vou a Bangu, gosto de ir ao shopping e de comer pastel na estação. Do Daltro, tenho agradável lembrança da bela tamarineira. Dos professores, admirava a professora Thêmis, excelente mestra de Português; tinha ainda os prefessores Aécio, Celeste, Flávia, Thaís, Luiz Carlos, Noêemia, Helton e os inspetores Carlos, Cremilda, Maria Augusta.

  53. edburgo soares filho disse:

    Meu pai era torcedor do Bangu e assistiu ao jogo de inauguração do estádio de Moça Bonita. Lembro, embora pequeno, de Zizinho, um dos maiores ídolos do Flamengo de todos os tempos, que encerrou a carreira no clube de Moça Bonita: jogava muita bola. Mais tarde vieram Zózimo (campeão mundial nas copas de 58 e 62), Décio Esteves e, em 66, Paulo Borges, Ladeira, Fidélis, Mario Tito, Aladim, Parada, Ubirajara, Djalma Dias, Cabralzinho, Ari Clemente e outros. Esse timaço foi campeão carioca naquele ano, ganhando de 3×0 do Flamengo, com muita briga no Maracanã.

  54. Eliezer França disse:

    Como consta a organização da IG Presbiteriana da rua Julio Cesar em 1929. Gostaria de sugerir a inclusão da data de organização da Primeira Igreja Batista em Bangu da rua Silva Cardoso, 299 que se deu em 20 de Julho de 1928, se necessario for temos fotos do prédio antigo da época da inauguração.

  55. Luciano Araujo disse:

    Olá! Adorei o blog. Sou nascido e morador de Bangu. Adoro ler histórias sobre o bairro e também de ver fotos antigas. Me recordo das casinhas dos operários. A Conego de Vasconcelos toda vermelhinha com os tijolinhos vermelhos. Saudades…

  56. Sandra E. B. da Silva disse:

    Olá!Sou moradora da Pç 1º de Maio, adorei encontrar este blog, pois vej estou indiquinada com a construção do HOSPITAL DA MULHER DA ZONA OESTE, cujo início das obras será realizada amanhã ás 09h:30min, com a presença do Prefeito Eduardo Paes.
    Local: Pç 1º de Maio – Av. Santa Cruz, s/n esquina com a Rua Boiobi – (e/f à Lona Cultural de Bangu) – Dia 24 de fevereiro de 2011. (nesta quinta-feira).
    Se você acha de Pç não é lugar de construir HOSPITAL compareça e proteste!!!!

  57. bangu tem uma rica historia!!!!

  58. bangu sim tem uma historia

    1. verdade dhiennifher aquii :)

  59. adorei.não tem lugar igual a bangu.

  60. BANGU, NÃO É UM BAIRRO É UMA RELIGIÃO, N TEM IGUAL.

  61. Foram momentos maravilhosos que passei em Bangu, minha infância, adolescência e juventude foram de grande valia para a minha vida, hoje tenho boas histórias para contar e recordar. Sou apaixonado por Bangu!

  62. Renata Ivo disse:

    Bangu, bangu, bangu…

  63. Não sou moradora antiga de Bangu, mas amo esse bairro!!! Meus filhos nasceram aqui e foi aqui que encontrei o grande amor da minha vida, Fabio Dasinger!!! BANGU, AMOR ETERNO!

  64. linda história deste bairro bangu, muito alegante e eterno de felicidade , bravo

  65. infelismente o poder publico abandonou bangu, nosso bairro e lindo . a fabrica bangu gerou mtos empregos em sua epoca, mto bom

Facebook

Novidades por e-mail

Se quiser receber nosso conteúdo no seu email, inscreva-se no campo abaixo

Social

  • Feed
  • YouTube

Destaque

Foto-de-Sheila-Tostes.jpg 4 motivos para amar a mulher carioca?! - Já diria o poetinha “A mulher carioca tem tanta coisa que nem sabe que tem” e o site MHM fez uma lista com os motivos para se apaixonar por uma carioca.
© 2012 Diário do Rio de Janeiro. Todos os direitos reservados. Conteúdo e Publicidade do Blog